segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Mas apareceu você e eu vi tudo mudar...



"É bobagem
Mas eu choro
Só de pensar em te perder "

Ai ai , como boa pagodeira que sou, meus últimos hits tem sido "grupo nuwance" .. e como minha criativade nao é lá essas coisas, recentemente mandei um depoimento pra ele com uma musica deles. A música fala sobre como o cara está apaixonado e assume que é bestera os medos que se tem de não ser correspondido, mas que dóem e pairam sobre nossos pensamentos mesmo quando sabemos que são infundados.
Pois bem, eu não poderia estar me contradizendo de maneira mais óbvia aqui. Medo? Se eu tenho medo é de bater a porta no meu dedo. É de falhar com algum paciente. É de não ser uma boa mãe. De trovão. Daquele bicho que é ruim até fala o nome. Mas medo de perde-lo? Insegurança? Vixi.. NEm pensar! Por favor, não me entenda mal,não pare de ler agora, não pense que sou uma hipócrita egocêntrica, que faz drama e depois tem a cara de pau de banalizar as crizes. Muito pelo contrario. Eu não tenho esse medo porque eu tenho aquela certeza. Aquela.. a que a gente sempre quer ter e parece que nunca vai alcançar. Eu tenho certeza que eu já encontrei o pai dos meus filhos. O homem com quem eu vo me casar. Pra quem eu vou um dia fazer uma comidinha especial esperando ele chegar do trabalho. Com quem no outro dia eu vou brigar porque chegou muito tarde. O homem que vai me xingar porque eu defendo e chamo de amigo aquele filho da puta que numa das nossas brigas me disse que eu tinha que me dar valor. O homem pra quem eu vou dizer "eu não quero mais que tu dê nem oi pra quela vagabunda cínica", a mulher com quem ele trabalha. E é claro que vamos fazer de tudo pra fazer nosso parceiro feliz, mas naquele momento da briga vamos dizer "se tu fazes tanta questão.. ta bem, mas agora ala a boca e me deixa em paz que nãote aguento mais", então vamos nos virar e 5 minutos depois (talvez com o tempo isso aumente pra 10) estaremos lá pedindo desculpa e combinando como sair dessa, como nos livrar dessas pessoas chatas que nos incomodam pelo simples fato de incomodarem o nosso amor!

o que eu to querendo dizer, é que apertar o dedo na porta dói e pode até quebrar, daí não posso escrever direito, e pra minha vida poder escrever é crucial. Ver uma barata, viva ou morta, me faz tremer, suar frio, gritar e as vezes chorar, no mais crítico dos casos me faz paralizar, a ponto de ligar pra alguem (ele) vir me buscar em algum lugar. Falhar com um paciente além de acarretar consequencias pra vida dele me faz uma psicóloga muito aquém da minha meta. Trovão assusta e me tira o sono, o que me deixa um zumbi no outro dia. Então eu tenho medo mesmo. Como não? É aquilo que me traz algum empecilho pra fazer o que eu sempre faço. Mas perder o meu amor? Eu já tive medo, tive e muito. Eu nem sequer confiava nas pessoas. Mas depois de tudo que já vi na vida, e por tudo que já passei, se eu tenho medo é de tropeçar no vestido no dia do casamento. O resto é resto. A gente briga, eu tenho ciume (muitooo), eu reclamo demais, eu cobro coisas ridículas, mas eu sei que no fim do dia ele vai dormir me amando e vai se acordar me amando mais. Porque a gente é assim, vem de outras vidas, não há o que possa nos separar, a gente vai sempre se perdoar antes mesmo que o outro pense em errar, nem a morte pode nos atrapalhar.




Eu não acreditava em histórias de amor, mas como diz a música "apareceu você e eu vi tudo mudar".

2 comentários:

Josi Puchalski Sousa disse...

Oiiiii!!!

Adorei o texto! Fiquei feliz...:-)

Tem presente pra
ti no meu blog!

Beijooo

Tiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.