sábado, 31 de janeiro de 2009

Borboletas sempre voltam


Eu não tenho palavras pra agradecer o apoio que eu recebi nos últimos dias! Sim, de pessoas que nem sabiam o que havia acontecido, mas com a ajuda do orkut, blog, msn, perceberam que alguma coisa tinha que ser! Acreditem vocês, cada palavra que eu ouvi e que eu li foi essencial pra que eu pudesse superar um momento difícil pra mim. De tanto falar em perdão, em saber perdoar, volto aqui para dizer como foi o desenrolar das discussões.
Mergulhada em dor e em frustração, eu não podia enxergar direito o caminho certo a seguir, eu queria que a dor passasse, eu chorei até ficar rouca pra dor sair em ondas sonoras, eu chorei até meus olhos fecharem de inchados pra ver se saía líquida, e eu chorei até a minha cabeça estourar pra ver se a dor de cabeça superava a dor do coração. Chorar aliviou, as tantas vezes que eu molhei o travesseiro, que eu gritei dentro do carro, que eu teclei sem enxergar as teclas me serviram pra descansar, pra diminuir a tensão, a pressão, e pensar melhor. afinal de contas Meu Deus, como é que se perdoa??

Sabe quando a gente ganha a primeira bicicleta, o primeiro roller, o primeiro skate.. sbe o nosso primeiro tombo? o joelho se rala todo, sangra toda hora, arde pra toma banho, arde pra por remédio, nao da pra dobrar a perna porque a ferida abre, melhor não mexer, melhor esperar curar, enquanto isso a gente odeiaaaa a bicicleta, o roller, o skate, whatever.. mas sabe quando a ferida cura e a gente monta na bike de novo, e pensa "nossaaa, tinha me esquecido e como isso eh divertido". Pois é, eu nunca fui de esperar a ferida curar, eu sempre quis me lembrar de como eh bom e como valeu a pena o tombo, porque assim, o joelho doía e eu nem sentia, eu podia sangrar na bermuda, mas com os cabelos ao vento em cima da minha bicicleta companheira!! e foi assim que eu aprendi como perdoar. O porre que te faz dizer "EU NUNCA MAIS VOU BEBER'. É como a decepção quando a gente ama. A gente diz nunca mais. Mas quando vê, ta lá de novo. Perdoei. Tentei e consegui. A melhor maneira pra perdoar alguém, é tentar. Mas de verdade. Se entregar. Não é aquele perdoar pensando "mas será?". É de verdade. De olhos fechados. Eu perdoei pensando: 'eu sei que tu me amas, eu te amo, esse post é pra ti, é pra ti mostrar que tudo que passou é menor que a gente, do teu lado não há mentira, não tem dor, o choro é de felicidade, o teu jardim sou eu!'


Mas no fundinho tenho que fazer uma confissão, eu não consegui sozinha, uma serenata de madrugada na minha janela, batons de chocolates escondidos pelo meu quarto, o brilho nos olhos sem igual, tudo isso facilitou #D

É amor, e é pra sempre. Eu sempre soube. E eu sempre quis. Nunca duvidei. No máximo eu potencializei a dor, pra despertar o teu lado romântico , o que te fez vir atrás e me provar. Potencializei o medo de perder, pra que tu vencesse tua timidez e viesse pra minha janela. Tu veio. Eu sempre te amei, mas agora eu te amo mais.

2 comentários:

Josi Puchalski Sousa disse...

Perfeito! Fico muito feliz que tudo deu certo! Ainda mais sendo resolvido de uma maneira tão legal.

Beijosss

Caroline disse...

Aaah que coisa bonitinha! *.*